4 dicas essenciais para a gestão de EPIs das empresas

4 minutos para ler

Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) são essenciais para manter a segurança dos colaboradores e para ajudar a evitar acidentes de trabalho. Gerenciar esses dispositivos de forma adequada é muito importante.

Falhas nesse processo podem gerar problemas trabalhistas, desrespeito às normas do Ministério do Trabalho e multas, prejudicando os profissionais, a imagem da empresa e as finanças. Assim, a gestão de EPIs é decisiva para que as atividades avancem de forma produtiva e minimizando os riscos o máximo possível.

Quer aprender a fazer o gerenciamento de equipamentos de proteção individual? Confira nossas dicas especiais e entenda mais sobre o tema!

Qual a importância da gestão de EPIs de um negócio?

A gestão de EPIs é muito importante para o negócio. Ela contribui para a segurança jurídica da organização, auxiliando na regularidade dos processos e no evitamento de motivos para ações trabalhistas. Com um correto gerenciamento, é possível caminhar de acordo com as normas do Ministério do Trabalho, garantindo o respeito à lei.

Além disso, a gestão de EPIs protege o empregado, contribuindo para a minimização de riscos e ajudando a evitar acidentes. A proposta é que o ambiente de trabalho se torne o mais seguro possível, barrando as potenciais ameaças dentro do que é viável para as atividades.

Como fazer uma boa gestão de EPIs?

Nós já indicamos a importância da boa gestão de EPIs para a empresa. Agora, mostraremos dicas valiosas para fazer esse gerenciamento com sucesso. Veja mais a seguir!

1. Evite reaproveitar EPIs

Reaproveitar EPI pode parecer uma prática econômica a princípio. Porém, a medida pode ser muito problemática no final. Quando um equipamento de proteção é adquirido, ele contém validade e vida útil. Dependendo dos agentes aos quais o EPI é exposto, a vida útil pode ser menor que a validade determinada pelo fabricante.

Se o EPI, durante o uso, ter a validade vencida ou o tempo de vida útil esgotado e acontecer algum acidente ou adoecimento do profissional, toda a responsabilidade pelo problema vai ser atribuída à empresa. Quando se trata de EPI, utilize sempre itens novos, que tenham boa qualidade, durabilidade e que estejam dentro do prazo de validade e vida útil.

2. Considere a relação custo-benefício e a qualidade, não somente o preço do EPI

É importante considerar que a compra de EPIs é um investimento e que esses dispositivos são elementos essenciais na proteção da equipe, promoção de saúde ocupacional e na política de prevenção. Isso significa que itens de qualidade inferior não permitem atender a esses princípios, não proporcionando segurança suficiente.

Assim, ao realizar a compra de EPIs, lembre-se de avaliar a qualidade dos equipamentos e a relação custo-benefício. Dessa forma, sua equipe fica protegida e resguardada de possíveis ameaças.

3. Registre a entrada e a saída de EPIs

É fundamental documentar a entrada e a saída de EPIs, pois esse registro oferece a comprovação jurídica de que a organização está cumprindo com a parte dela. Com um controle adequado, é possível evitar dificuldades nos passivos trabalhistas.

Essa medida também ajuda a fazer um bom controle de estoque, o que evita que os itens de proteção faltem.

4. Promova medidas de conscientização da equipe sobre o uso de EPI

Fiscalizar se a equipe está utilizando os dispositivos de proteção é tarefa da empresa. Porém, mais do que isso, é importante conscientizar sobre o uso de EPI. Se o colaborador sabe a importância do equipamento para a própria segurança, ele terá o compromisso de usá-lo, e a corporação terá menos problemas com fiscalização.

Fazer o gerenciamento dos Equipamentos de Proteção Individual é muito importante para a corporação avançar em regularidade com a lei e para que os profissionais fiquem adequadamente resguardados de riscos e acidentes. Esse processo garante a correta armazenagem, a compra, a reposição, a distribuição, a substituição e o descarte, contribuindo para uma boa rotina de segurança no negócio.

E então? Gostou de nossas dicas para uma boa gestão de EPIs? Aproveite e deixe o seu comentário!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-